Do que você tem medo?
Postado em 24 de março de 2018 @ 16:37 | 257 views


Quando somos crianças temos medos tão inusitados, que quando contamos para os outros rendem horas de muitas risadas. Um medo engraçado é sobre meu pai.

O meu pai sempre usou bigode desde que me conheço por gente. Bigode estilo do cantor Belchior para você me entender (rsrs). As raras vezes que via meu pai sem bigode eu chorava de medo, e não o deixava chegar perto de mim, dizia: “é o bicho” (só para constar: você que estiver lendo este texto deve pensar que meu pai era muito feio, mas não era!). Vai entender, né?

Porém, infelizmente, um dia crescemos, e deixamos nossos medos de criança para trás e adquirimos novos medos, uma porção deles. Estamos vivendo uma época repleta de medos. Temos medo de tudo hoje em dia. Acordamos com medo e vamos dormir com medo. Medo se continuaremos empregado até o próximo mês ou até a próxima crise da empresa e ela nos despedir, medo se vamos nos casar um dia, medo se vamos nos separar, medo de ficar longe, medo se conseguiremos prover segurança e estabilidade aos nossos filhos, medo de pegar uma doença grave, medo da desilusão, medo de sair na rua e ser assaltado, medo de barata (esse último tudo bem!) entre vários outros medos, uns maiores que outros, mas que acabam por nos corroer diariamente produzindo uma angústia e ansiedade incontrolável, que só aumenta.

Mas, por que temos tanto medo?

Vou te contar uma história de um grupo de amigos que foram passear de barco. O dia estava perfeito, céu azul, sem nuvens, estava uma brisa leve e agradável, o mar estava liso que nem se mexia, ou seja, não tinha um dia melhor para navegar que este.

Certo momento da viagem, todos estavam tranqüilos e sossegados, uns conversavam, outros jogavam cartas, um aproveita e vai dormir na popa do barco (se ligue neste cara!) e outros pescam, quando de repente, sem mais nem menos, o tempo muda e uma grande tempestade os surpreende.

Os amigos começam a ficar transtornados com a situação, não sabiam o que poderiam fazer, agora o céu estava totalmente escuro com nuvens pretas e carregadas, um vento forte os sacudia enquanto ondas do mar gigantescas se arremetiam com toda a força e cobriam o barco, a situação era alarmante, estavam naufragando.

Enquanto tudo isso acontecia, um deles permanecia dormindo tranquilamente, seu nome era Jesus e seus amigos eram os seus doze discípulos mais chegados.

O sono de Jesus os incomoda, e seus amigos não tendo mais o que fazer, sem mais esperanças, o acordam, esperando que Ele fizesse alguma coisa a respeito, pois já o tinham visto fazer maravilhas antes. Jesus se levanta e pergunta a todos eles: “Por que vocês estão com tanto medo, homens de pequena fé (Mateus 8.26)”.

O que está por trás desta pergunta de Jesus aos seus amigos? O que isso tem haver com seu e meu medo?

Você já se imaginou ter uma vida totalmente intocada pelo medo e pela angústia? Como seria diferente se hoje todo o nosso medo fosse definitivamente apagado do nosso coração?

Nesta história a tempestade foi repentina, como o medo também o foi. Tudo estava indo bem, e depois desabou tudo, as esperanças esvaíram. Às vezes, até conseguimos prever a tempestade chegar, mas em outras o tempo pode mudar e nos pegar desprevenidos.

Por vezes, somos surpreendidos por tempestades em nossa vida que não queremos enfrentar, porque queremos, sim, uma vida de mar calmo e brisa refrescante em todo o tempo, mas isso não é o ideal para nossas vidas.

Nas tempestades da vida o medo vem e nos faz acreditar que Deus esteja dormindo, inerte ao nosso problema. Nas tempestades o medo vem e nos faz perder a confiança nEle e duvidar se realmente nos ama. Nas tempestades da vida o medo vem e gritamos com Ele assim como os seus discípulos fizeram na tempestade: “Mestre, não te importa que morramos? (Marcos 4.38)”, ficando cegos para todas as maravilhas que já tinham presenciados até então, assim como nós fazemos a cada tempestade que passamos, ao qual nos esquecemos de quanto Ele é bom.

São nas nuvens de tempestade que escurecem nossa vida que podemos realmente sentir Jesus presente no barco. O medo existe para podermos ter fé. As tempestades surgem para exercitarmos a fé. O melhor remédio para nossos medos é fé, plena, total e incondicional a Cristo.

Nas tempestades podemos ter nada, mas mesmo assim continuaremos a ter tudo: Cristo. Ele não está dormindo. Ele jamais dormiu.

São nas tempestades que descobrimos claramente quem Deus é, e descobrimos o quanto confiamos nEle, e assim que as tempestades passarem, e vão passar, você poderá dizer:”Quem é este que até os ventos e o mar lhe obedecem? (Mateus 8.27)”, como os amigos de Cristo na história disseram entre si perplexos.

Paulo Sérgio – Vocalista

1




 

Banda SOPRO DE VIDA - Site Oficial - Todos os direitos reservados 2016
Website by Joao Duarte - J.Duarte Design - www.jduartedesign.com